Trechos do meu Livro…

      Tudo começou quando decidi, erradamente ou não , olhar  pelo buraco da fechadura . Buscava algo bucólico e lúdico ao mesmo tempo. Desde aquele primeiro instante eu passei a estar sempre lá, não era o que eu queria, mas a curiosidade nos leva a cometer atos inconcebíveis e pasmem , fui tão envolvido por aquele ambiente, mesmo não estando nele, eu, testemunha ocular , de lascívia e salacidade que mesmo etérea, minha matéria se arrepiou…                 Vi suas mãos negras, másculas e calejadas  deslisarem libidinosamente por aquele corpo, ébano liso, infantil. Mãos essas, que mais tarde ,  acalentariam do mesmo , seu órgão juvenil. E quando esse corpo , já adulto , voluntariamente  entregar-se  a essas mesmas mãos  , retribuindo numa voluptuosidade imensurável, boca com boca, sexo no sexo ,num amalgamar abraço cálido e tórrido, seria como um choque de dois planetas . São dois em um só agora, distintos planetas.                                                                                                                                                        Mas ( indo por partes), na quele momento até então, ele não gostava.

Discurso de Martin Luther King ” Eu Tenho um Sonho”( I Have a Dream)

“Eu estou contente em unir-me com vocês no dia que entrará para a história como a maior demonstração pela liberdade na história de nossa nação.

Cem anos atrás, um grande americano, na qual estamos sob sua simbólica sombra, assinou a Proclamação de Emancipação. Esse importante decreto veio como um grande farol de esperança para milhões de escravos negros que tinham murchados nas chamas da injustiça. Ele veio como uma alvorada para terminar a longa noite de seus cativeiros.
Mas cem anos depois, o Negro ainda não é livre.
Cem anos depois, a vida do Negro ainda é tristemente inválida pelas algemas da segregação e as cadeias de discriminação.
Cem anos depois, o Negro vive em uma ilha só de pobreza no meio de um vasto oceano de prosperidade material. Cem anos depois, o Negro ainda adoece nos cantos da sociedade americana e se encontram exilados em sua própria terra. Assim, nós viemos aqui hoje para dramatizar sua vergonhosa condição.

De certo modo, nós viemos à capital de nossa nação para trocar um cheque. Quando os arquitetos de nossa república escreveram as magníficas palavras da Constituição e a Declaração da Independência, eles estavam assinando uma nota promissória para a qual todo americano seria seu herdeiro. Esta nota era uma promessa que todos os homens, sim, os homens negros, como também os homens brancos, teriam garantidos os direitos inalienáveis de vida, liberdade e a busca da felicidade. Hoje é óbvio que aquela América não apresentou esta nota promissória. Em vez de honrar esta obrigação sagrada, a América deu para o povo negro um cheque sem fundo, um cheque que voltou marcado com “fundos insuficientes”.

Mas nós nos recusamos a acreditar que o banco da justiça é falível. Nós nos recusamos a acreditar que há capitais insuficientes deoportunidade nesta nação. Assim nós viemos trocar este cheque, um cheque que nos dará o direito de reclamar as riquezas de liberdade e a segurança da justiça.

Nós também viemos para recordar à América dessa cruel urgência. Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranqüilizante do gradualismo.
Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia.
Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho iluminado pelo sol da justiça racial.
Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus.

Seria fatal para a nação negligenciar a urgência desse momento. Este verão sufocante do legítimo descontentamento dos Negros não passará até termos um renovador outono de liberdade e igualdade. Este ano de 1963 não é um fim, mas um começo. Esses que esperam que o Negro agora estará contente, terão um violento despertar se a nação votar aos negócios de sempre.

Mas há algo que eu tenho que dizer ao meu povo que se dirige ao portal que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso legítimo direito, nós não devemos ser culpados de ações de injustiças. Não vamos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e novamente nós temos que subir às majestosas alturas da reunião da força física com a força de alma. Nossa nova e maravilhosa combatividade mostrou à comunidade negra que não devemos ter uma desconfiança para com todas as pessoas brancas, para muitos de nossos irmãos brancos, como comprovamos pela presença deles aqui hoje, vieram entender que o destino deles é amarrado ao nosso destino. Eles vieram perceber que a liberdade deles é ligada indissoluvelmente a nossa liberdade. Nós não podemos caminhar só.

E como nós caminhamos, nós temos que fazer a promessa que nós sempre marcharemos à frente. Nós não podemos retroceder. Há esses que estão perguntando para os devotos dos direitos civis, “Quando vocês estarão satisfeitos?”

Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto o Negro for vítima dos horrores indizíveis da brutalidade policial. Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto nossos corpos, pesados com a fadiga da viagem, não poderem ter hospedagem nos motéis das estradas e os hotéis das cidades. Nós não estaremos satisfeitos enquanto um Negro não puder votar no Mississipi e um Negro em Nova Iorque acreditar que ele não tem motivo para votar. Não, não, nós não estamos satisfeitos e nós não estaremos satisfeitos até que a justiça e a retidão rolem abaixo como águas de uma poderosa correnteza.

Eu não esqueci que alguns de você vieram até aqui após grandes testes e sofrimentos. Alguns de você vieram recentemente de celas estreitas das prisões. Alguns de vocês vieram de áreas onde sua busca pela liberdade lhe deixaram marcas pelas tempestades das perseguições e pelos ventos de brutalidade policial. Você são o veteranos do sofrimento. Continuem trabalhando com a fé que sofrimento imerecido é redentor. Voltem para o Mississippi, voltem para o Alabama, voltem para a Carolina do Sul, voltem para a Geórgia, voltem para Louisiana, voltem para as ruas sujas e guetos de nossas cidades do norte, sabendo que de alguma maneira esta situação pode e será mudada. Não se deixe caiar no vale de desespero.

Eu digo a você hoje, meus amigos, que embora nós enfrentemos as dificuldades de hoje e amanhã. Eu ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.

Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença – nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais.

Eu tenho um sonho que um dia nas colinas vermelhas da Geórgia os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos desdentes dos donos de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho que um dia, até mesmo no estado de Mississippi, um estado que transpira com o calor da injustiça, que transpira com o calor de opressão, será transformado em um oásis de liberdade e justiça.

Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia, no Alabama, com seus racistas malignos, com seu governador que tem os lábios gotejando palavras de intervenção e negação; nesse justo dia no Alabama meninos negros e meninas negras poderão unir as mãos com meninos brancos e meninas brancas como irmãs e irmãos. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia todo vale será exaltado, e todas as colinas e montanhas virão abaixo, os lugares ásperos serão aplainados e os lugares tortuosos serão endireitados e a glória do Senhor será revelada e toda a carne estará junta.

Esta é nossa esperança. Esta é a fé com que regressarei para o Sul. Com esta fé nós poderemos cortar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé nós poderemos transformar as discórdias estridentes de nossa nação em uma bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé nós poderemos trabalhar juntos, rezar juntos, lutar juntos, para ir encarcerar juntos, defender liberdade juntos, e quem sabe nós seremos um dia livre. Este será o dia, este será o dia quando todas as crianças de Deus poderão cantar com um novo significado.

“Meu país, doce terra de liberdade, eu te canto.

Terra onde meus pais morreram, terra do orgulho dos peregrinos,

De qualquer lado da montanha, ouço o sino da liberdade!”

E se a América é uma grande nação, isto tem que se tornar verdadeiro.

E assim ouvirei o sino da liberdade no extraordinário topo da montanha de New Hampshire.

Ouvirei o sino da liberdade nas poderosas montanhas poderosas de Nova York.

Ouvirei o sino da liberdade nos engrandecidos Alleghenies da Pennsylvania.

Ouvirei o sino da liberdade nas montanhas cobertas de neve Rockies do Colorado.

Ouvirei o sino da liberdade nas ladeiras curvas da Califórnia.

Mas não é só isso. Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Pedra da Geórgia.

Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Vigilância do Tennessee.

Ouvirei o sino da liberdade em todas as colinas do Mississipi.

Em todas as montanhas, ouviu o sino da liberdade.

E quando isto acontecer, quando nós permitimos o sino da liberdade soar, quando nós deixarmos ele soar em toda moradia e todo vilarejo, em todo estado e em toda cidade, nós poderemos acelerar aquele dia quando todas as crianças de Deus, homens pretos e homens brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão unir mãos e cantar nas palavras do velho spiritual negro:

“Livre afinal, livre afinal.

Agradeço ao Deus todo-poderoso, nós somos livres afinal.” 

P.S Texto retirado de uma página da internet, logo não se caracteriza como sendo meu.

Estou de Volta!!!!!

    Quero um óculos escuro sentar novamente na areia quente olhar você quebrando no mar, sentir sua brisa tocar a minha tez como um beijo sexy de amor.

   Caminhar em você e observar do alto daquela pedra , que divide ambas as praias num broche perfeito projetado pela mãe Natureza, as marcas das pegadas  misturada a muitas de anônimos que vem como eu por ti ser abençoado . As minhas lágrimas se misturam as suas ,e torna difícil de discernir das minhas que agora dentro de ti são de alegria; que falta que me me fizestes e que  saudades do seu poderoso abraço  . O Sol ofusca os meus olhos mesmo por trás do meu mundinho de vidro mesmo a sim a sensação causada pelo mesmo faz pateticamente transbordar o meu ser de adrenalina, como senti sua falta minha verdadeira amiga, minha prancha aguarda de ti a onda perfeita para deslizar e completar o quadro, também  perfeito, da pintura da minha vida .

Lamento

LAMENTO
HOJE CHORO COMO CRIANÇA
OBSERVANDO ESTE ABSMO;
QUE EM MIM CRIASTEIS
DESTRUIU O QUE PODE
DEIXANDO-ME NUM HOJE
AMARGO E CHEIO DE INFELICIDADES.
CARACTERIZO-TE COMO O CARRASCO
QUE DECEPOU TODA A MINHA ALEGRIA.
HOJE SOFRO, NA ANCIA DE SER ALGUEM UM DIA.
ESTE ABISMO PROFUNDO, MARCA DA MINHA DESTRUIÇÃO;
TRAS-ME A CADA MOMENTO APERTO NO CORAÇÃO.
SAUDADES
CAMINHA-SE PELOS VALES;
SE DESSO AS CAMPINAS,
OU ATRAVESSO MARES
ESSE SENTIMENTO ME ESCRAVISA.
MEU CORAÇÃO APERTANDO,
MINHA’LMA SUFOCANDO
EO MEU SER DESANIMANDO;
DEIXA-ME NUM ENIGMA…
O QUE SERÁ QUE FIZ,
OU QUE ERROS COMETI
PARA MERECER TAIS SENTIMENTOS?
CORRO PELOS VALES
CAIO NA REALIDADE
E ENCHERGO ENFIM O QUE FIS…
DESCUBRO QUE É TUDO SALDADES
DE UM PASSADO INFELIZ
 RIO: 14/08/1992
SEXTA-FEIRA

Te amei muito…

DESPEDIDA (I)
HOJE TIVE POUCO DE TÍ…
O QUE ME OBRIGOU A PENSAR
EM VOCE NESSA LONGA NOITE FRIA.
PENSEI NO TEU SORRISO DE CRIANÇA
INOCENTE E CARENTE;
NOS TEUS OLHOS INCADENCENTES
E NA TUA PELE NEGRA QUE SEMPRE SENTE;
O CALOR DOS MEUS ABRAÇOS.
QUERIA EU SER O SEU DONO;
PARA APROVEITAR MAIS E MAIS
DESTE TEU XODÓ.
NOS MOMENTOS TRISTES, COMO ESTES,
PENSO EM TÍ;
NO TEU JEITO MAROTO;
NO FRÁGIO CONTORNO DO TEU ROSTO;
NUMA IMAGEM AQUARELADA
QUE DA MINHA MENTE JAMAIS SE APAGARÁ.
NA TUA INOCENCIA;
NEM SABES QUE TE AMO TANTO.
TALVEIS NUNCA VENHAIS SABER.
MAS, PRA MIM POUCO IMPORTA;
POIS O IMPORTANTE É QUE TIVE
VOCÊ.
RIO: 30/05/1995
TERÇA-FEIRA

Poema

DESPEDIDA (II)
HOJÊ SOFRO POR TÍ,
E DE TÍ SEMPRE ME LEMBRAREI:
– DOS MOMENTOS TRISTES EM QUE
ENCONTRAVA-ME, DOS QUAIS
SEMPRE ME LIBERTAVA
E FAZIA SENTIR-ME REI.
O BRILHO DO TEU SORRISO ENCANTA-ME
FAZ-ME SENTIR NOVAMENTE CRIANÇA;
ATÉ TROUXE-ME UM POUCO DE ESPERANÇA.
DESEJEI SEMPRE ESTAR CONTIGO:
– NO INFRNO OU NO PARAISO;
NA UTOPIA DE UM ESCONDERIJO…
SERÁIS SEMPRE O MEU FILHOTE;
SERÁIS SEMPRE A MINHA FLOR;
SERÁIS SEMPRE ONÍRICO
EM MINHA TRISTE REALIDADE.
NO PASSADO, NÃO FICARAIS; POIS
O TRAREI SEMPRE COMIGO ENQUANTO
PRA MIM FUTURO EXISTIR.

Poema

SAUDADES
CAMINHA-SE PELOS VALES;
SE DESSO AS CAMPINAS,
OU ATRAVESSO MARES
ESSE SENTIMENTO ME ESCRAVISA.
MEU CORAÇÃO APERTANDO,
MINHA’LMA SUFOCANDO
EO MEU SER DESANIMANDO;
DEIXA-ME NUM ENIGMA…
O QUE SERÁ QUE FIZ,
OU QUE ERROS COMETI
PARA MERECER TAIS SENTIMENTOS?
CORRO PELOS VALES
CAIO NA REALIDADE
E ENCHERGO ENFIM O QUE FIS…
DESCUBRO QUE É TUDO SALDADES
DE UM PASSADO INFELIZ

?????????????

   Tem sido difícil parar para escrever nesse ano que começou,as vezes vejo-me rodeado de ideias mas não sei como as colocar no papel.
       Hoje estou aqui sentado diante do computador com um copo de cafe e com a TV, que não tem nada que preste como sempre, ligada assistindo Todo Mundo Odeia o Chris. Nos outro canais  só se falam do prédio que desabou no centro da cidade do Rio de Janeiro  próximo ao Teatro Municipal, o que  não consigo entender  ate agora e que falam falam e ninguém diz a causa do desabamento do mesmo, que chato .

     Meu dia não teve nada de especial hoje, tirando o fato de ter que aturar o mau humor de certas  pessoas que não me convém citar os nomes nesse momento.( vocês tem que ver o julios, pai do Chris dançando em cima da mesa kkkkkkkkk) . O assunto do dia foi o helicóptero da policia que passou por aqui bem baixinho procurando os traficantes da areá parecia cena de cinema né , eu acho pois não perdi meu tempo indo até la fora para ver o show da PM. Bom dia chato noite chata eu sem um minimo de paciência para teclar  , suando as bicas doido pra tomar um banho e cair na cama, pra vocês que não tem o que fazer bye – bye…

Soneto

  ESTIVE BEM PERTO DE TI E NÃO SOUBE APROVEITAR
O DOCE MOMENTO QUE EM TI  PODERIA ME DELEITAR ;
NA FRÁGIO INOCÊNCIA DE UM MENINO CÃO
RESTOU-ME A MIM AS MIGALHAS DO SEU CHÃO.
 
APROVEITEI PRA CATAR DO MESMO, TODO O RESTO 
DO MEU EU QUE A TEMPESTADE ESPALHOU,
NÃO ENCONTREI QUASE NADA POIS DE MIM NADA
DE BOM SOBROU,
 
SE VOU SOFRER NO OLHO DESSE TUFÃO, NÃO VOU
POIS POSSO AFIRMAR QUE ACHEI O MEU CHÃO.
 
É NELE QUE CAMINHO AGORA PARA ACHAR O MEU EU
QUE SOPRADO PELA TEMPESTADE PRA SEMPRE SE PERDEU.
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.